“Eu (não) sou o cara mau” Breaking Bad | S03

Devo admitir que eu subestimei os efeitos do acidente aéreo no fim da temporada anterior. Ele quase soterrou tanto Walter quanto Jesse em uma montanha de culpa pela morte de Jane, o colapso do pai (controlador de voo) e pelas 167 mortes do evento. A cobertura incessante da mídia e os laços azuis que adornaram a lapela dos personagens até a metade da temporada mostravam que tanto o acidente  quanto a vida de Jane e seu pai foram explorados a exaustão. Ambos foram (co)responsáveis pela morte de Jane: um a arrastou de volta as drogas e o outro a assistiu morrer. Ambos não sabem lidar com o tema mas o professor mostra preocupação com o estado mental do ex-aluno recém saído da recuperação para se livrar do vício.

Na jornada de reflexão durante a internação Jesse resolve assumir o que é. “Eu sou o cara mau”, ele diz a Walter. Digerir o passado é um problema para ambos e eles permanecem longe do laboratório até que Pinkman resolve voltar a ‘cozinhar’. Enquanto isso Walter ainda tenta se reunir com a esposa (que a esta altura o colocou pra fora de casa, descobriu que ele é traficante de metanfetamina e está tentando impedir seu contato com os filhos). Com o sócio fora, Pinkman começa solo. Muito mais independente e equilibrado sem usar drogas, é outro personagem. Aí entra a sagacidade Gustavo… e a vaidade de Walter White (ou seria Heisenberg)? O dono de Los Pollos Hermanos oferece a Walt US$3MM por 3 meses de trabalho. Walter recusa. Ele diz que tem dinheiro mas perdeu sua família. Ele bate o pé que está fora:”eu não posso ser o cara mau” disse ele a um desesperado SAul que tenta fazê-lo voltar. IMG_6536Jesse pede para ser apresentado ao fornecedor de Walter e ele recusa: Jesse não tem o talento para produzir, o fornecedor não vai aceitar negociar com ele e Jesse não está a altura. Mais uma vez ele destrata o sócio e reforça que é especial. Só que Jesse consegue fazer a venda. E Gustavo dá sua cartada de mestre: entrega metade do dinheiro a Pinkman e a outra metade a um Walter (que até então não sabia de nada do acordo). O entendimento de Gustavo sobre Walter é tão forte que ele mantém a oferta de $3MM, leva o professor a um superlaboratório montado por ele e, quando nada funciona, apela para o ego do Walt: “Um homem provê para sua família”.

Essa temporada trata de como sair desse mundo em que eles se meteram. Como proteger o que conquistaram. Como usufruir dos benefícios que a vida do crime trouxe sem fazer disso um passaporte direto para prisão? Walt é vitima de si mesmo (ou de Heisenberg) mais uma vez… mas Jesse dá o azar de ao voltar aos negócios colocar Hank nos seus calcanhares. E a tensão desta caçada culmina com Walter (que descobre a investigação e tenta salvar Jesse/a si mesmo) preso com Pinkman no RV/laboratório num ferro velho com Hank batendo na porta como um cão farejador que achou o que procurava. Infelizmente, a solução de Walt para sair desse beco enfurece o policial que desconta em agressões a Jesse (pra ele o único culpado). Hank está no limite do desgaste mental mas ainda é um cara bem intencionado. Ele mesmo vê a merda que fez e chama a polícia, ambulância e etc.. Aí a coisa muda e o sr White se vê obrigado a colocar Jesse (que ele tinha escorraçado por ser “incompetente”) de volta aos negócios e se desfazer de seu novo laboratorista, o simpático Gale. Mais uma vez eu não consigo entender se Walter abriu mão de $1,5MM de dólares (custo da sociedade 50/50) para evitar que Jesse destruísse a careira e vida de Hank, se o fez para se manter limpo (o ex-sócio sozinho acabaria preso e iria dedurar o esquema) ou se fez para tentar limpar sua barra com Skyler (que pediu sua ajuda no caso). A relação Walter-Jesse é algo que ainda não consigo decifrar.

Com pé atrás, Gustavo aceita Jesse no lugar de Gale que não entende o motivo de sua demissão. Com a dupla de volta a produção, a vida parece seguir um rumo estável… até que o inesperado acontece: Jesse começa a ser ganancioso. Em pequenos desvios do laboratório tenta remontar seus canais de distribuição com Badger e Pete. Só que como nas ruas a concorrência é dura, Jesse leva a dupla pra dentro da reunião do Narcóticos Anônimos! Sem sucesso. Jesse tenta ele mesmo vender e conhece Andrea. Mas é o inconformismo dele em receber $3MM enquanto Gustavo vai levar $96MM no mesmo período toca num ponto crucial em Walter: o que acontecerá depois dos 3 meses de contrato? Walter começa a ficar ansioso com o futuro… e abre o jogo pra Gustavo numa reunião detalhando com precisão o plano do patrão: consegue uma extensão do contrato para $15MM em um ano. Ali sabemos que Gustavo traiu o cartel mexicano, direcionou o ataque dos primos sinistros de Tuco para Hank e conseguiu fechar a fronteira para ficar com o mercado livre para si. E nesse jogo, ter Walter para produzir é essencial.

Ao mesmo tempo vemos que o lado insensível de Jesse (Badger descreve vender droga pra um cara no NA como ‘dar um tiro num bebê’) é derrubado quando descobre que Andrea tem um filho. Como a vida nesta série nunca é fácil, descobre que foi o irmão dela que matou Combo num ritual de iniciação de gangues. E pra fechar com chave de ouro: eles estão vendendo a droga azul que ELE PRODUZ! O cara surta e resolve matar os traficantes. Pede a ajuda de Walt que nega (“Eu não sou assassino. Você não é assassino”). Só que ao ver a determinação do jovem, o professor busca uma alternativa com Saul para manter o sócio fora de confusão. O problema é que Walter e Saul ainda não sabem que Mike é funcionário leal de Gustavo e, quando contratado para fazer o serviço, entrega tudo para o patrão. Corta para Pinkman esperando na esquina quando é “sequestrado” por Mike rumo ao deserto. Numa reunião no meio de lugar nenhum, Gustavo, Walter, Mike, Jesse e os dois traficantes estão em volta de uma mesa para tratar das intenções de Pinkman. E pela milésima vez na série alguém diz que se não fosse pelo WW, Jesse estaria morto. A sós com a dupla de sócios, Gustavo obriga Jesse a fazer a paz e ele se nega. “Eles contratam crianças.. achei que você fosse um homem de negócios razoável.”. Gustavo ordena que os dois traficantes não contratem mais crianças e força Jesse a selar a paz.

Mais uma vez a vida vem e vira tudo… os traficantes matam Tomás (o jovem irmão de Andrea) e, ao ver o corpo do menino morto na praça Jesse entra em desespero. Ele volta as drogas. Revoltado ele pega a arma e atravessa a rua em direção a dupla de mexicanos quando é salvo por Walt. Ele atropela os dois, desce do carro pega a arma executa um deles friamente e diz: CORRA! Ele fez isso pra salvar o sócio? Pq ele se importa com Jesse? Ou só pra reforçar a posição de que ELE é essencial no negócio e está imune as regras? Não consigo entender mas nesse momento estou tendendo para um sentimento de proteção do professor pelo ex-aluno. Jesse “foge”, Walter se entrega e negocia a sua permanência nos negócios com a liberdade de Jesse. Gustavo coloca Gale de volta no laboratório e Walt entende que está formando um substituto.

No fim da temporada, é a vez de Walter pedir ajuda a Jesse para matar Gale (sem substituto eles não poderão ser assassinados). Ele se recusa (usando os argumentos do sócio!) mas para retribuir a ajuda que teve até agora ele descobre o endereço do laboratorista. Quando Walter tenta executar seu plano, Victor (o capanga sinistro de olhos puxados) aparece de surpresa e o leva para o laboratório para investigar um “vazamento”. Ao encontrar Mike tarde da noite, Walter sabe que morrerá e apela desesperado. Pede pra conversar, para falar com Gustavo.. sem sucesso. Até que oferece Jesse Pinkman e diz que só precisa de uma ligação para conseguir localizá-lo na cidade. Mike cede e Walter avisa a Jesse que foi capturado e que ele precisa fazer o “serviço” sujo. Como é de sua personalidade, Walter há pouco um coitado agora Mike já que, em breve, será insubstituível. Jesse chega a casa de Gale em pânico e quando a porta se abre… atira. O destino da bala fica pra S04 (obrigado Netflix!)

Em paralelo algumas tramas importantes acontecem: depois de Skyler ter um caso pra tentar afastar Walter, ela acaba recebendo o marido de volta aos poucos e ajuda, inclusive, no processo de lavagem de dinheiro. O foco da contadora passa ser comprar o lava jato onde o marido trabalhou para facilitar a “venda” de uma desculpa para a família. Skyler está dedicada a “limpar” o dinheiro enquanto Walter quer mostrar o que conseguiu conquistar com “seu trabalho”. Hank, depois de espancar Jesse e quase virar vilão nacional, é atacado pelos irmãos Salamanca (eu sabia que o velho na cadeira de rodas ia dar trabalho!) e sobrevive apesar de baleado algumas vezes. O dinheiro “limpo” vai ajudar a custear o tratamento do cunhado. E eu só consigo pensar em: O que o Hank vai pensar quando descobrir que o dinheiro que está pagando suas contas vem do cunhado que é o traficante que ele tanto se dedicou a caçar?

Ambos tentaram sair mas voltaram a vida do crime mais fundo do que nunca. Um tentou se assumir mau (mesmo sem ser) enquanto o outro tenta fugir do rótulo que talvez lhe sirva melhor. Jesse que passou a temporada limpo não aguentou a criança morta e voltou as drogas. Será que sua consciência vai sobreviver a um assassinato a sangue frio? Walter vai continuar sendo imprescindível para os negócios de Gustavo? Heisenberg vai conseguir se manter seu ego low profile enquanto lavam o dinheiro para não chamar atenção da Receita Federal? Sobreviver está se mostrando mais difícil do que conquistar espaço no mundo do crime.

Continua…

Caso tenha perdido as impressões sobre a S01 veja aqui e sobre a S02 aqui.

Um comentário sobre ““Eu (não) sou o cara mau” Breaking Bad | S03

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s